9

GBTA pede que Biden detalhe o novo plano de retorno das viagens

Os Estados Unidos estão enfrentando impactos com a variante delta do coronavírus e com os mais de 80 milhões de americanos que ainda não se vacinaram, embora os imunizantes estejam disponíveis para todos os cidadãos do país. Diante dessa pandemia de pessoas não vacinadas, o presidente Joe Biden está criando um novo plano para exigir que mais americanos se convençam de que se vacinar é o melhor caminho.

A iniciativa consiste em seis grandes áreas de ação e muitas medidas específicas em cada uma delas. Entre elas está a regra de emergência desenvolvida pelo Departamento de Trabalho dos EUA para exigir que todos os empregadores com 100 ou mais funcionários garantam que suas forças de trabalho sejam totalmente vacinadas ou apresentem um teste negativo pelo menos uma vez por semana.

Outra parte do plano é continuar protegendo aqueles que já tomaram as doses necessárias. Além disso, o governo também está aumentando a disponibilidade de testes rápidos e mais acessíveis para serem adquiridos em grandes varejos, como Amazon e Walmart.

Biden também anunciou que a Administração para a Segurança dos Transportes (TSA) dobrará as multas dos viajantes que se recusarem a usar máscara facial. No entanto, apesar de todas essas medidas para proteger os Estados Unidos, o país continua fechado para viagens e com diversas restrições de fronteiras.

 

GBTA REAGE ÀS MEDIDAS

 

O Global Business Travel Association (GBTA) emitiu um comunicado falando que apoia todas as partes do plano e todas as suas metas, além de compreender a importância da vacinação e dos testes. Contudo, a CEO da entidade, Suzanne Neufang, indicou decepção que mais uma semana se passou sem quaisquer detalhes da força tarefa sobre quando ou como as viagens internacionais para os EUA serão retomadas.

Essas medidas continuam impedindo passageiros vacinados do Reino Unido, Canadá, União Europeia ou México a entrarem no país. Segundo ela, a continuação dessas restrições só serve para prejudicar a economia norte-americana.

A associação continua a exortar o governo Biden a desenvolver uma estrutura de protocolos baseados em risco para orientar as viagens internacionais, em vez das restrições gerais às viagens que atualmente estão atrapalhando os deslocamentos e a recuperação econômica. A GBTA também continua a defender em regiões ao redor do mundo o retorno seguro e responsável das viagens e a volta aos negócios.

 

Fonte: www.panrotas.com.br

8

Monotrilho que conectará GRU ao trem tem contrato assinado

Um termo aditivo na concessão do Aeroporto Internacional de Guarulhos foi assinado nesta terça-feira (8) para implantação de um sistema do tipo automated people mover (APM). O veículo automatizado e movido por ar comprimido vai conectar os três terminais de passageiros do aeroporto à estação da Linha 13-Jade da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

Atualmente, a ligação entre o sistema de trens e o aeroporto, que localizado na Grande São Paulo, é feita por ônibus fornecidos pela concessionária GRU Airport. O novo modelo é baseado nas soluções usadas em aeroportos como os de Atlanta, Chicago, Nova Iorque e São Francisco, nos Estados Unidos, e deve economizar tempo dos passageiros, além de ser menos poluente.

Estão previstos investimentos de R$ 271,1 milhões, que seriam pagos pela concessionária à União, como parte do devido por outorga. Esse dinheiro deverá, agora, ser usado na construção do sistema de transporte. “Esse é o primeiro investimento obrigatório previsto em contrato de concessão no setor aeroportuário por meio de aditivo contratual”, ressaltou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas.

A previsão é que as obras comecem em janeiro de 2022 e durem 24 meses.

A linha do APM terá 2,7 mil metros de extensão. Serão três veículos, cada um com capacidade para 200 passageiros, com ar-condicionado, wi-fi e espaço para bagagem.

 

Fonte: www.panrotas.com.br

7

Mudanças no papel do gestor de viagens com a pandemia

O papel do gestor de viagens se transformou e intensificou após a pandemia do novo coronavírus. Em um passado não muito distante, no ano de 2019, a principal atuação deste profissional era ir em busca de uma viagem confortável e de custos adequados.

Diante disso, os parceiros do travel manager dentro da empresa eram as áreas de compras e financeiro. Com a chegada da covid-19, tudo mudou e, com a necessidade de olhar ainda mais para o duty of care, o departamento de RH se tornou aliado essencial, ajudando a focar na saúde do funcionário.

Confira aqui o vídeo da nova postagem do blog Espaço Alagev, da blogosfera do Portal PANROTAS, onde a assessora executiva e gestora de Viagens da AGCO Brasil, Cristiane Manetti, fala sobre as mudanças na profissão.

 

Fonte: www.panrotas.com.br

9

Latam Brasil inaugura voo para Comandatuba (BA)

A Latam Brasil acaba de realizar na manhã de hoje (2) seu primeiro voo regular para Comandatuba, na Bahia, tornando-se o 45º destino da empresa no País. A nova rota a partir do aeroporto de São Paulo/Congonhas marca a superação da quantidade de aeroportos brasileiros atendidos antes da pandemia de covid-19. Ainda nesse ano, a companhia inaugurará mais quatro destinos nacionais: Jericoacoara(CE), Juazeiro do Norte (CE), Petrolina (PE) e Vitória da Conquista (BA).

A nova rota conta com dois voos semanais em aeronaves Airbus 320, com capacidade para 162 passageiros em classe Economy e oito em Premium Economy. Os voos decolam de São Paulo às 9h15 das quintas-feiras e às 12h25 dos domingos. No sentido inverso, partem às 12h05 das quintas-feiras e às 15h05 dos domingos.

As passagens aéreas estão disponíveis no site da companhia e também do Latam Pass, com preços a partir de R$ 324,00 (valor por trecho com taxas inclusas) e a partir de 6 mil pontos (mais taxas a partir de R$36,06).

“Estamos otimistas porque os passageiros estão retomando os seus planos de viagem na medida em que avança o processo de vacinação contra a covid-19. Os novos destinos que estamos abrindo atendem a todos os tipos de viajantes e vão nos ajudar a recuperar praticamente 100% da nossa capacidade de oferta no Brasil até o fim deste ano”, afirma o diretor de Vendas e Marketing da aérea para o Brasil, Diogo Elias.

 

Fonte: www.panrotas.com.br

8

Gol realiza primeiro voo carbono neutro do Brasil

O voo G3 1862, que levou passageiros de Recife para Fernando de Noronha no último dia (1), foi simbólico para a Gol. A rota foi a primeira percorrida com emissões de carbono neutralizadas no Brasil e consolida o trabalho da campanha #MeuVooCompensa, que é encabeçada pela companhia reforçando a meta de se tornar uma referência em aviação sustentável no País.

A operação desse voo foi possível por meio da parceria entre Gol e Moss, uma das maiores plataformas ambientais de créditos de carbono do mundo. Com o acordo, a Moss doa a todos os clientes da companhia e moradores da ilha que voam na rota Recife-Fernando de Noronha-Recife a compensação da pegada carbônica de suas viagens, neutralizando as emissões totais de carbono nos dois trechos. Assim, a pegada carbônica deixada nas duas viagens é automaticamente “apagada”, sem custo extra aos passageiros.

O primeiro voo carbono neutro do Brasil foi pilotado pelo comandante Pedro Scorza, que é também o assessor de Projetos Ambientais da Gol. Ao final da viagem, após o pouso em Fernando de Noronha, todos os viajantes foram presenteados com um certificado “verde” pela compensação individual de carbono já providenciada pelas duas empresas.

O voo G3 1862 foi tratado como um evento pelas parceiras e, depois da aterrissagem, levou todos os convidados para circularem em Noronha com carros elétricos cedidos pela Renault, ou seja, sem combustível poluente. Esse passeio interliga o projeto da aérea com outro desenvolvido no arquipélago. De acordo com o decreto estadual nº 306/2019 (Projeto de Lei Ordinária), será proibida a entrada na ilha, em 10 de agosto de 2022, de carros que fazem a emissão de dióxido de carbono. E, a partir do ano de 2030, de acordo com o projeto Noronha Carbono Zero 2030, todos os veículos movidos a gasolina, álcool e óleo diesel deverão ser retirados do local.

“É uma meta do Governo do Estado reduzir a emissão de gases de efeito estufa na ilha de Fernando de Noronha, utilizando formas ambientalmente corretas de abastecimento, com energia renovável e automóveis que não agridam o meio ambiente. É essa a proposta do programa Carbono Zero. Até 2030, não teremos mais carros a combustão circulando no arquipélago. Sabemos que precisamos vencer várias etapas e, com calma e planejamento, vamos atingir o nosso objetivo final, que é mudar 100% a nossa matriz energética para a energia limpa e renovável. Estamos olhando para o futuro, para as próximas gerações, e fazendo da ilha um exemplo a ser seguido”, explicou o administrador da ilha, Guilherme Rocha.

Os voos G3 1862 e G3 1863 (Noronha-Recife) são operados com o jato Boeing 737 700, de última geração, com capacidade para 138 passageiros. As aeronaves que atendem a essa rota especial da Gol foram pintadas com os dizeres “A 1ª Rota Carbono Neutro do Brasil – Recife-Noronha”, na parte dianteira, e “#MeuVooCompensa”, na posterior.

 

A PARCERIA

 

O investimento da Gol e da Moss para neutralizar o carbono em Noronha busca colaborar com a diminuição de um quarto das emissões na ilha (mais da metade das emissões totais são geradas pelo transporte aéreo que serve a Noronha).

A representação da companhia aérea lembra que há 11 anos busca implementar melhorias operacionais e novas tecnologias, assim como aperfeiçoar procedimentos que contribuem para a redução de seus impactos no clima e na natureza. Em nota, a companhia também sublinha que a renovação contínua de sua frota por aeronaves mais econômicas e menos poluentes e ruidosas é apenas uma das medidas que objetivam o balanço líquido de zero carbono até 2050.

 

Fonte: www.panrotas.com.br

7

E190-E2 da Embraer faz o primeiro voo comercial para o aeroporto mais crítico de Londres

Ontem, quinta-feira, 2 de setembro de 2021, aconteceu uma importante estreia no Aeroporto London City. Às 17h45 locais, um E190-E2 da Embraer fez seu primeiro voo comercial para o icônico aeroporto no centro da capital política e financeira britânica. Com o registro HB-AZG, a aeronave da Helvetic Airways voou de Zurique a Londres em 1 hora e 20 minutos, restabelecendo um elo essencial para a comunidade financeira global.

Operado pela Helvetic Airways em nome da Swiss International Air Lines, empresa aérea com a qual possui uma parceria, o voo LX 456 foi recebido com um batismo do corpo de bombeiros do Aeroporto London City. A bordo do voo, completamente vendido, estavam 110 passageiros, entre representantes da mídia internacional, viajantes a negócios, além de passageiros em viagem para visitar amigos e familiares.

 

Fonte: www.aeroin.net

6

Itapemirim chega à marca de 100 mil passageiros transportados

Empresa que iniciou oficialmente sua operação em junho, a Itapemirim Transportes Aéreos – ITA alcançou no último dia 26, a marca de 100 mil passageiros transportados e chega hoje a 1 mil voos realizados. O voo simbólico da mais nova empresa aérea brasileira decolará do Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos (SP) com destino ao Aeroporto Internacional Tom Jobim/Rio Galeão (RJ).

Para celebrar a data e os feitos, a ITA programou uma série de iniciativas, direcionadas aos clientes da companhia, com entrega de brindes e sorteios de cortesias para pontos turísticos consagrados do Rio de Janeiro, como Museu do Amanhã, Rio Star, Aquário, Bondinho do Pão de Açúcar e Trem do Corcovado. Tudo isso durante o voo 1.000.

“É a concretização de um sonho e fruto de um trabalho de centenas de colaboradores que se dedicaram integralmente à operação da ITA nos últimos meses. Atingir a marca de 100 mil clientes transportados no mesmo dia em que realizamos o nosso milésimo voo, com menos de dois meses de operação, só mostra a excelente receptividade que a ITA teve no mercado”, afirma o presidente do Grupo Itapemirim, Sidnei Piva.

“Além dos 100 mil clientes transportados pela empresa aérea do grupo, também já superamos a marca de meio milhão de passageiros embarcados nos ônibus da Viação Itapemirim, em mais de 18 mil viagens rodoviárias. Portanto, já são mais de 600 mil vidas transportadas em quase sete décadas no mercado”, completou o executivo.

 

DESTINOS

 

A ITA iniciou suas operações comerciais em 1º de junho com voos nos aeroportos de São Paulo-Guarulhos (SP), Brasília (DF), Belo Horizonte-Confins (MG), Rio de Janeiro-Galeão (RJ), Porto Alegre (RS), Porto Seguro (BA), Salvador (BA) e Curitiba (PR).

Em 1° de agosto, a ITA ampliou seus destinos e passou a voar também para as cidades de Fortaleza (CE), Florianópolis (SC), Maceió (AL), Natal (RN) e Recife (PE). Com isso, já são 13 destinos atendidos, com quatro aeronaves Airbus A320. Estes aviões têm capacidade para transportar até 162 passageiros.

 

Fonte: www.panrotas.com.br

5

Aeroportos de POA e Fortaleza têm teto tarifário reajustado

Publicadas no último dia 27, no Diário Oficial da União (DOU), duas portarias reajustam os tetos das tarifas aeroportuárias dos aeroportos de Fortaleza (CE) e Porto Alegre (RS). Os reajustes estão previstos nas fórmulas estabelecidas nos respectivos contratos de concessão. Contudo, os novos valores poderão ser praticados somente 30 dias após a divulgação pelas concessionárias.

Com a alteração dos valores, as tarifas máximas de embarque doméstico pagas pelos passageiros passarão de R$ 33,01 para R$ 35,77 no Aeroporto de Fortaleza e de R$ 37,89 para R$ 41,05 no Aeroporto de Porto Alegre. As tarifas máximas de embarque internacional, por sua vez, passarão de R$ 58,46 para R$ 63,34 no Aeroporto de Fortaleza e de R$ 67,09 para R$ 72,69, no Aeroporto de Porto Alegre.

Os tetos das tarifas aeroportuárias dos aeroportos de Fortaleza e de Porto Alegre foram reajustados em 8,3471%. Os reajustes aplicados consideram a inflação acumulada entre junho de 2020 e junho de 2021, medida pela variação do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) do IBGE observada no período.

Os reajustes estão previstos nos contratos como mecanismo de atualização monetária e tem como objetivo preservar o equilíbrio econômico-financeiro estabelecido nos contratos de concessão.

As tarifas aeroportuárias são valores pagos à concessionária pelas companhias aéreas, pelo operador da aeronave ou pelo passageiro. Essas tarifas correspondem aos procedimentos de embarque, conexão, pouso, permanência, armazenagem e capatazia dentro dos aeroportos.

 

Fonte: www.panrotas.com.br

4

Emirates e Airlink expandem parceria para acordo de codeshare

A Emirates e a Airlink anunciaram que vão expandir a parceria existente para um acordo de codeshare unilateral em toda a malha aérea da Airlink em mais de quarenta destinos domésticos e regionais em doze países africanos. O acordo visa beneficiar especialmente os viajantes que chegam na África do Sul para lhes oferecer mais opções para viajar na região.

A novidade chega no momento em que a Emirates retoma seus voos para a África do Sul e intensifica suas operações por meio de suas portas de entrada no destino: Johannesburgo, Cidade do Cabo e Durban. A conectividade fornecida pelo novo codeshare entre as companhias pretende oferecer tarifas competitivas, emissões combinadas e transferência de bagagem sem interrupções nas conexões.

Os clientes da Emirates que viajam para a África do Sul agora podem fazer conexões de Johannesburgo, Cidade do Cabo e Durban para pontos domésticos, como Bloemfontein, George, Upington, Nelspruit, Hoedspruit, Kimberly, Skukuza, Pietermaritzburg, entre outros.

 

Fonte: www.panrotas.com.br

3

O trabalho mudou para sempre e as viagens também; veja 5 insights

A segunda edição da pesquisa “As viagens em um mundo pós-vacina – Insights para o Turismo”, realizada por TRVL LAB e ELO, traz insights ricos sobre o mercado de viagens corporativas em um mundo pós-vacina. Segundo o levantamento, 84% gostam de viajar para fazer negócios, mas acreditam que a redução do ritmo tem beneficiado o relacionamento com a família, pois proporcionou mais tempo com os cônjuges e filhos.

 

Além disso, quase metade dos participantes (49%) enxerga os benefícios da redução de viagens para aumento da qualidade de vida, com mais tempo para atividades familiares e a lazer. Portanto, o mercado mudou, assim como o viajante a negócios, e as empresas e players deste setor precisam estar atentas.

 

Para ajudar a vencer a crise e entender melhor os desdobramentos da indústria quando boa parte da população economicamente ativa estiver imunizada, o estudo traz cinco insights importantes para o segmento. São eles:

 

  1. O TRABALHO MUDOU PARA SEMPRE

A forma como trabalhamos mudou durante a pandemia e, ao que tudo indica, algumas das transformações serão permanentes. De forma geral, as empresas encontraram soluções eficazes para o trabalho remoto e foram se adaptando, quando boa parte das equipes estava à distância. O formato híbrido é uma tendência para o pós-vacina.

Do ponto de vista dos times, a adaptação ao novo formato também aconteceu e muitos criaram espaços adequados para trabalhar em casa, ainda que sintam falta da interação e colaboração com colegas. A maioria dos entrevistados afirma preferir o trabalho remoto e pretende continuar trabalhando assim após terem sido vacinados. Estas alterações no modelo tradicional certamente trarão mudanças também para as viagens a negócios, então fique atento ao que está ocorrendo nas decisões das empresas sobre suas formas de trabalho.

 

  1. NOVOS CRITÉRIOS PARA VIAJAR

A vacinação em massa da população é o que garantirá a retomada gradual das viagens corporativas, tanto por parte das empresas quanto de seus colaboradores. Estas viagens serão mais planejadas e envolverão múltiplas atividades e a companhia será mais criteriosa ao autorizá-las.

O uso da tecnologia continuará favorecendo a gestão à distância e breves reuniões seguirão priorizando o formato digital. Outro ponto importante é que o orçamento de viagens das empresas permanecerá encolhido. Com os deslocamentos a trabalho reduzidos e com multipropósito, o segmento corporativo se tornará ainda mais competitivo, tornando obrigatória a diferenciação dos produtos e serviços oferecidos.

 

  1. ATENÇÃO À QUALIDADE DE VIDA

Apesar de gostar de viajar a negócios, viajantes estarão mais atentos e seletivos em suas opções, escolhendo criteriosamente seus fornecedores de viagens. A preferência dos por fazer negócios e participar de eventos presencialmente se manteve, porém eles afirmam que a redução na frequência de viagens foi benéfica para o relacionamento com a família e para sua qualidade de vida.

Esta diminuição de viagens corporativas teve um impacto na produtividade do trabalho, mas muitos não pretendem voltar ao ritmo pré-pandemia. Há uma oportunidade de atrair viajantes a trabalho, pois eles sentem falta de algumas viagens e preferem o formato presencial, porém precisam enxergar benefícios claros para deixar sua família e romper temporariamente com a sua rotina. Produtos e ser viços corporativos serão mais exigidos com entrega que vai muito além do básico.

 

  1. AUTONOMIA PARA ESCOLHER

A maior parte dos viajantes a negócios terá autonomia total ou dentro de um orçamento definido para escolher seus fornecedores de viagens. A reserva será feita principalmente pelo departamento de viagens da empresa ou diretamente com os fornecedores. O pagamento será realizado pela companhia ou com cartão de crédito corporativo, com prestação de contas simplificada.

O meio de transporte favorito para as próximas viagens é o avião, e preço, facilidade de reserva e compra e voos diretos são os itens prioritários para a escolha. Já para os meios de hospedagem, os hotéis econômicos serão a opção preferencial, escolhidos por preço, segurança percebida e localização. É importante que fornecedores reforcem o seu relacionamento direto com os clientes finais, pois a escolha é deles.

 

  1. HÁ LUZ NO FIM DO TÚNEL

Ainda que com ajustes, menos frequência e mais foco na qualidade de vida, as viagens a trabalho irão retomar. O formato presencial é insubstituível para certas atividades, especialmente para eventos de colaboração e integração, que deverão ser reforçados justamente pelo aumento do trabalho remoto.

Empresas e viajantes acreditam que as viagens a negócios serão retomadas no pós-vacina, inclusive com a manutenção de alguns novos hábitos, como check in on-line, uso de máscara em ambientes fechados, café da manhã express para viagem, entre outros. A probabilidade da realização de viagens corporativas nos primeiros seis meses do pós-vacina é alta. Mas, é preciso entender definitivamente que o mundo mudou, mudando também a maneira de fazer negócios e as viagens associadas a isso. É hora de se reinventar para a retomada que está chegando.

 

Fonte: www.panrotas.com.br