viagens corporativas pandemia

Novas Tendências: as viagens corporativas vão diminuir com a pandemia?

A Pandemia de COVID-19 afetou de forma abrupta o turismo corporativo. Em março, no início do isolamento social do Brasil, o setor sentiu a potência do vírus ao ver transformado em números aquilo que já era previsto: cerca de 92% das viagens, eventos e outros serviços relacionados a cadeia do turismo foram cancelados, deixando empresários e colaboradores numa situação nunca antes vivida.

A verdade é que mesmo após seis meses de quarentena, ainda não sabemos quando, de fato, tudo voltara ao normal e se haverá um normal como o de antes. O que já podemos perceber é uma retomada paulatina nas viagens mesmo por que, muitos serviços dependem das viagens para se manterem ativos.

No entanto, podemos vislumbrar um futuro um pouco diferente e mesmo que as viagens nunca parem de acontecer, novas tendências certamente prometem verdadeiras mudanças no setor do turismo corporativo.

Abaixo elencamos algumas tendências para o setor. Acompanhe:

 

As viagens vão diminuir com a pandemia?

A diminuição do número de viagens já é uma realidade. No entanto, o que podemos perceber é que as empresas aproveitaram o memento de isolamento para fortalecerem o setor de atuação através da especialização. Num primeiro momento, palestras, cursos e workshops para inspirarem empresas e colaboradores foram fortemente adotados, colocando em prática uma demanda já prevista. Reciclar conhecimento e transformar o tempo livre em tempo de qualidade foi medida adotada por muitos. O que podemos vislumbrar é uma adoção de um modelo híbrido de encontros onde parte do grupo participa presencialmente de uma reunião de negócios, por exemplo, enquanto outra parte continua no escritório ou em casa participando remotamente.

O modelo híbrido também pode ser notado em eventos. Eles não vão ser extintos, de maneira alguma. No entanto, a sua duração presencial pode ser diminuída ou mesclada: parte presencial e parte online. Desta forma, as viagens serão mais bem pensadas, levando em consideração as novas exigências sanitárias de prevenção, calculando melhor aglomerações e outros pontos antes não levantados.

 

Tendência: menos aglomeração e menor tempo de exposição

A segurança de funcionários é, sem dúvida uma máxima. Por isso, evitar aglomerações é pauta que será amplamente discutida inclusive após a pandemia. Por isso, é possível que as viagens para eventos ou reuniões com muitas pessoas sejam divididas para evitar o contato abundante.

Para diminuir o tempo de exposição em voos muito longos, é possível que as empresas também optem por escalar funcionários que estejam mais próximos da região onde o encontro acontecerá.

Muitas viagens de negócios são realizadas com rapidez e com poucos envolvidos. Logo, esta categoria se mantém sem grandes preocupações. Quando não for possível resolver todo via internet, os deslocamentos acontecerão.

 

Maior Planejamento

O planejamento mais detalhado, bem como a revisão da Política de Viagens vai auxiliar as viagens corporativas.

Este planejamento vai incluir primeiramente a escolha mais assertiva do funcionário viajante. A partir de agora, as empresas serão mais cuidadosas ao escalarem um colaborador. Certamente o viajante precisará de vivência, confiança e mais expertise para que os objetivos da viagem sejam realmente efetivos. O que significa é que funcionários mais preparados, inclusive mentalmente, se enquadrarão melhor neste “novo normal”.

O viajante também precisará ser alguém que se comunique bem, e que garanta que os protocolos sejam cumpridos por ele e que esteja atento às diretrizes adotadas pelos fornecedores incluídos no processo.

 

Verificação de contratos com fornecedores

Para assegurar o fomento do setor e manter as viagens corporativas a todo vapor, as empresas exigirão ainda mais de seus fornecedores afinal, proteger o funcionário sempre será uma máxima.

Para tanto, contratos com fornecedores para garantir que hotéis, companhias aéreas, coworking, agências de viagem e outros espaços profissionais estejam cumprindo os protocolos sanitários para preservar a saúde do viajante serão revisados. Uma maneira de fazer boas escolhas é verificar se o prestador de serviço ou fornecedor possui o Selo do Turismo Responsável (COLOCAR O LINK DO ARTIGO JÁ FEITO) criado pelo Ministério do Turismo. O Selo incentiva boas práticas de higiene para cada segmento do setor aqui no Brasil.

 

Meios de transporte em viagem corporativa

Algumas locadoras de veículos já perceberam uma ampliação no período de aluguel de carros durante a pandemia. A adoção desta medida deve estar relacionada a maior segurança sentida por parte do colaborador ao viajar, pelo menos parte do percurso, de carro. Esta conduta também foi percebida por que houve uma drástica diminuição de voos diários, o que acabou implicando na logística dos encontros dentro e fora do país.

Com a retomada, a grade de voos está, devagar, se reestabelecendo e a adesão dos protocolos de higiene por parte das companhias aéreas e aeroportos trás de volta a confiança de viajar por meios aéreos.

No entanto, pode ser que os automóveis sejam cogitados com maior frequência a partir de agora.

 

Maior atenção à saúde do funcionário

Qual é o maior ativo de sua empresa? Certamente as pessoas! Por isso, até que as empresas se sintam realmente seguras ao enviarem seus colaboradores em viagens, eles darão preferência aos encontros virtuais. As mais bem preparadas e mais cientes de suas responsabilidades e direitos já começaram a retomada pautadas sobretudo na segurança de seus funcionários. Isto quer dizer que todos estarão mais atentos ao bem-estar das pessoas, e farão vista grossa aos perfis, seguros e, inclusive, ampliarão a rede de segurança e trackeamento de pessoal para evitar grandes problemas. Obviamente todo este aparato custará mais do que de costume. Por isso, as viagens corporativas serão pensadas e responsadas, a fim de que aquele investimento tenha o retorno desejado.

 

O que podemos esperar de viagens corporativas pós-pandemia?

O futuro ainda se mostra abstrato. No entanto, o que sabemos é que encontros presenciais para fechar negócios nunca deixarão de existir. Para algumas culturas é inadmissível criar uma parceria, concretizar um negócio ou realizar transações sem encontros cara a cara. Além disso, o networking é parte fundamental do profissionalismo entre empresas. É preciso sair do lugar comum para crescer.

O maior conhecimento sobre a doença, a vinda da vacina e maior conscientização de pessoas e cadeia de turismo auxiliarão na retomada massiva das viagens de negócios.

 

A Nix Travel está pronta para ajudar a sua empresa a retornas às viagens corporativas com segurança. Nossos colaboradores estão atentos às normas e protocolos nacionais e internacionais. Tudo para que a sua viagem aconteça de forma efetiva. Fale com a gente!

Comments are closed.